Divulgação

O Ministério da Saúde confirmou nesta quinta-feira (05) que há oito casos positivos para coronavírus no Brasil. Seis estão em São Paulo, um no Rio de Janeiro e um no Espírito Santo.

Pela primeira vez, a pasta confirmou que São Paulo registrou os dois primeiros casos de transmissão direta do coronavírus no país. Um dos pacientes infectados é parente do homem de 61 anos, que foi o primeiro confirmado para a doença, em 26 de fevereiro. O segundo teve contato com esse familiar.

De acordo com o secretário de vigilância em saúde do ministério, Wanderson Oliveira, como os casos têm conexão, ainda não se pode dizer que há uma transmissão sustentada, agora chamada de comunitária, dentro do Brasil. A pasta está tratando o caso como transmissão local.

“Isso significa que o vírus não está produzindo doentes cuja fonte não conseguimos identificar. Todos os casos têm histórico de viagem ou de contato com caso confirmado”, disse Oliveira.

O primeiro caso de coronavírus no Estado do Rio de Janeiro é uma mulher de 27 anos que mora em Barra Mansa, no sul fluminense, e esteve viajando pela Europa no período de 9 a 23 de fevereiro. Ela desenvolveu a forma branda da doença, passa bem e permanecerá em isolamento até o próximo dia 20.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Edmar Santos, que concedeu entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, a paciente viajou com o marido e passou pela Itália (Milão e Lombardia) e pela Alemanha.

O marido não apresenta sintomas, mas é monitorado. Os primeiros sintomas dela foram tosse e coriza, que surgiram no dia 17, quando o casal ainda estava na Europa. Mas esse quadro não se apresentou durante o voo de volta.

Ela procurou uma unidade de saúde em Barra Mansa no dia 1º de março e desde então cumpre isolamento domiciliar de 20 dias. No dia 2 de março coletou material para exames realizados pelo Laboratório Central Noel Nutels (Lacen-RJ), que emitiu laudo no dia 3.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) também recebeu amostra e confirmou o caso suspeito nesta quinta-feira. O marido e outros familiares dessa paciente estão sendo monitorados, mas não estão em isolamento. Pessoas que ocuparam poltronas vizinhas no avião em que ela voltou ao Brasil estão sendo localizadas e também serão monitoradas, segundo o governo do Rio.

“Trata-se de um caso importado. Não há qualquer indício de que o vírus esteja circulando pelo Estado do Rio”, afirmou o secretário de Saúde. “Não há motivo para pânico na população fluminense. Continuamos no nível zero do nosso plano de contingência”, afirmou.

Em relação ao caso do Espírito Santo, o laudo oficial só será disponibilizado nesta sexta-feira (06). Os exames já confirmaram a amostra. A infectada, tem 37 anos, com histórico de viagem para a Itália.

Há ainda, um possível nono caso no Distrito Federal, de uma mulher de 27 anos, com histórico de viagem para Inglaterra e Suíça. Ela teve resultado positivo para o teste em laboratório particular, mas o exame está em contraprova.

Na coletiva de imprensa, o secretário em vigilância sustentou que não há motivo para pânico, nem corrida aos hospitais.

Segundo novo balanço do Ministério da Saúde, há 636 casos suspeitos de coronavírus e 378 casos descartados em todo o país.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui