Divulgação

Adolescente de 13 anos, que morreu por Covid-19 na última quinta-feira (02/07) é a vítima mais jovem do coronavírus. O rapaz morava em Pedro Afonso e foi o primeiro a morrer em decorrência da doença na cidade, mas estava internado no Hospital Geral de Palmas quando foi diagnosticado com o vírus.

A Secretaria Estadual da Saúde informou que o garoto já estava em tratamento no HGP por causa de uma doença preexistente. Disse ainda que ele pode ter dado entrada no hospital com a doença, já que 80% dos casos são assintomáticos. (Veja nota completa abaixo)

Segundo a secretária de saúde de Pedro Afonso Dinalva Peres, o adolescente foi internado no hospital da cidade, com sintomas de febre, vômito e diarreia. Foi feito o teste rápido e o resultado deu negativo para Covid-19, segundo a gestora.

No dia 30 de junho, ele deu entrada no Hospital Geral de Palmas, com os mesmos sintomas. A secretária relatou que o menino teria passado por uma tomografia no tórax e o resultado sugeriu que ele estava com o novo coronavírus. Depois, ele foi submetido a um novo exame, que testou positivo para a Covid-19.

O menino morreu quatro dias depois de ser internado no HGP. O município de Pedro Afonso informou que ele apresentou comorbidades, como pneumonia viral e um possível linfoma. A Secretaria de Saúde não informou se o jovem estava internado na ala específica para casos de Covid-19.

Seguindo os protocolos do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual da Saúde, o paciente foi enterrado em urna funerária lacrada, sem velório prévio. Quatro pessoas da família acompanharam.

Nas redes sociais, amigos e professores do menino lamentaram a morte. “Foi meu aluno era agitado mais um menino de um grande coração seria um homem maravilhoso”, comentou uma professora.

O que diz a Secretaria Estadual de Saúde

A Secretaria Estadual da Saúde informou que o paciente já fazia tratamento no Hospital Geral de Palmas (HGP), por doença grave preexistente, em estágio avançado, com toda assistência necessária, por parte da equipe multiprofissional da unidade.

Disse ainda que a infecção por Covid-19 já foi considerada pelo Ministério da Saúde (MS), por transmissão comunitária em todo o país, portanto, o paciente mencionado pode ter sido regulado ao HGP com o novo Coronavírus, uma vez que, a literatura é pacífica em afirmar que 80% dos casos os pacientes não apresentam sintomatologia (assintomáticos) e que os testes rápidos dependendo de quando aplicados, podem apresentar resultados falsos.

Enfatizou que todas as unidades hospitalares geridas pelo Executivo Estadual estão devidamente abastecidas de Equipamentos de Proteção Individuais (EPIs) todos em observância às orientações do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) e da Comissão de Controle de Infecção Hospital (CCIH) de acordo com a área de atuação dos profissionais, dentro de cada unidade.

Tal medida aliada a aplicação de todos os protocolos de segurança estabelecidos pelo MS, no manejo dos pacientes confirmados ou com suspeita da Covid-19, tem garantido a segurança dos servidores bem como dos pacientes e seus respectivos acompanhantes, finalizou a nota.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui