Divulgação

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da 3ª Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado (3ª DEIC) de Araguaína, cumpriu nesta terça-feira, 15, mandado de busca e apreensão referente à representação ao Poder Judiciário, que autorizou a medida para colheita de provas em investigação que apura o suposto recebimento de salário por parte de uma servidora do Poder Legislativo, sem a devida contraprestação do trabalho, pois a mesma, ainda que lotada em Palmas, exercia suas atividades na cidade de Araguaína.

O caso, conforme o delegado-chefe da 3ª DEIC, Fernando Rizério Jayme, tramita sob sigilo e o período que está sendo investigado refere-se aos anos 2018 e 2019, ocasião em que a servidora residia em Araguaína.

O Delegado ressalta que várias ações têm sido desenvolvidas para o combate desse tipo de crime. Ele frisa que são crimes graves, que afetam diretamente toda a população com o desvio ilícito de dinheiro proveniente dos cofres públicos e que poderia estar sendo utilizado em benefício da população”.

Fernando Rizério assinala que investigações nesse tipo de crime, em geral, tem indicado também a possibilidade da existência de falsidade ideológica e até mesmo associação criminosa, tipificações que dependem do resultado das investigações.

“Na ação promovida hoje foram encontrados alguns indícios e elementos que colaborarão com a apuração dos fatos”, finalizou o Delegado.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui