Divulgação

Familiares de morador de Dianópolis que morreu aos 38 anos por complicações causadas pelo novo coronavírus afirmam que houve confusão no diagnóstico da vítima. De acordo com uma prima, na primeira vez que procurou o Hospital Regional de Dianópolis (HRD) com sintomas da doença o paciente voltou para casa com diagnóstico de dengue.

Depois do atendimento no HRD o paciente foi liberado e voltou para casa. Ele continuou sentindo os sintomas, foi testado no último dia 3 de junho e morreu nesta quarta-feira (17) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral de Palmas (HGP).

“O meu primo veio sentir os primeiros sintomas no dia 26 de maio. Foi ao hospital da nossa cidade na qual foi diagnosticado com dengue e mandado para casa. Se sentindo mal, após alguns dias, no dia 31, retornou ao hospital. Colocaram ele em isolamento e no outro dia ele foi transferido para Porto Nacional e logo em seguida para Palmas”, explicou Joane Helenzire Santos.

Os parentes acreditam que a demora para iniciar o tratamento contra o coronavírus pode ter agravado o estado de saúde dele. “Veio o diagnóstico de Covid-19. Meu primo foi entubado, ficou 14 dias na UTI e veio à óbito”, lamentou a prima.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui