Divulgação

No sul do Tocantins, funcionários de um frigorífico em Gurupi estão pedindo testagem em massa da Covid-19 na empresa. Eles dizem que vários colegas de trabalho já se contaminaram e outros estão com suspeita da doença.

A Secretaria Municipal de Saúde disse que há casos positivos no quadro de funcionários da empresa e que eles estão afastados de suas atividades. Já o frigorífico informou que possui um protocolo de segurança para evitar a disseminação da doença e que providenciou a aquisição de mil testes rápidos para testar todos os funcionários.

Um funcionário, que trabalha no setor de desossa e que prefere não se identificar, conta que foi diagnosticado com o novo coronavírus, cumpriu quarentena, mas está preocupado. Segundo ele, há colegas de trabalho com a suspeita da doença.

“Tem local que trabalham 18 pessoas e tem 16 pessoas afastadas, então quase 100% do local foi afastado por conta do vírus. Deveria fechar a empresa por uns dias, testar os pacientes, testar os funcionários e fazer uma limpeza na empresa”, opinou.

O frigorífico de carne bovina fica no Distrito Industrial de Gurupi, tem cerca de 600 funcionários e exporta para mais de 100 países.

Outro funcionário que trabalha na indústria disse que a maior preocupação é com as pessoas que tiveram contato com casos positivos ou que trabalharam no mesmo ambiente.

“Tanto de casos que já teve e você indo trabalhar mesmo assim, sendo que tem essas medidas que podem evitar. Então dá um certo medo sim todo dia na hora que levanta”.

O que diz a prefeitura

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Gurupi informou que já entrou em contato com a empresa e que realmente há casos positivos no quadro de funcionários, e que eles estão afastados de suas atividades.

Disse também que o município tem passado as devidas orientações e feito o acompanhamento do caso, por meio da Vigilância Epidemiológica, e a própria empresa também está monitorando a situação por meio de sua equipe médica.

“A empresa segue as orientações da OMS, possui plano de contingência, com sala de triagem e afastamento dos servidores que possuem alguma comorbidade ou que apresentem algum sintoma da doença”, informou a secretaria.

O que diz a empresa

Já a Cooperfrigu disse que diante da pandemia, preservar a saúde e a segurança dos seus colaboradores e familiares é a prioridade. E que segue as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), Anvisa, Ministério da Saúde, Ministério da Agricultura, Secretária de Municipal e Estadual de Saúde e das demais autoridades locais no sentido de proteger a todos e impedir a propagação do vírus.

Em nota, a empresa informou que criou um Comitê desde o inicio da pandemia, coordenado pela Médica do Trabalho e composto por vários profissionais, como uma enfermeira, psicóloga, nutricionista, engenheiro de segurança do trabalho, veterinários, engenheiro de alimentos, engenheira de bio processos e controle de qualidade, integrantes da prevenção do Covid-19.

Também afirmou que possui protocolo de segurança na entrada da empresa e faz a verificação da temperatura com termômetro infravermelho de testar sem contato, tornou obrigatório o uso de máscara, protetor facial, álcool gel, desinfecção de calçados e veículos e entre outros procedimentos.

“Os colaboradores que eventualmente possam apresentar sintomas são encaminhados para assistência médica na rede particular de saúde (Hospital Unimed), pois todos os colaboradores possuem Plano de Saúde, reafirmamos que nenhum colaborador adentra as instalações da empresa com qualquer sintomas”, disse a empresa.

A nota diz ainda que a empresa providenciou a aquisição de mil testes rápidos e testa todos os funcionários conforme protocolo, bem como reduziu sua produção em aproximadamente 50%, respeitando o distanciamento de segurança, e no entanto preservou os empregos dos colaboradores.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui