Divulgação

A família de um homem diagnosticado com o novo coronavírus reclama de falta de atendimento e de assistência no hospital Dom Orione, em Araguaína. Segundo os familiares, ele teve 50% do pulmão comprometido e foi transferido para a unidade particular para tratar a doença, mas não conseguiu uma vaga. A tia do paciente registrou um boletim de ocorrência, mas o hospital afirma que o paciente fugiu da unidade.

O paciente é morador de Colinas do Tocantins. Primeiro o homem procurou o Hospital Municipal de Colinas, mas foi encaminhado ao Hospital Municipal de Campanha de Araguaína. Como precisava fazer um exame de tomografia computadorizada, foi transferido para o Hospital Dom Orione.

A tia do paciente, Marilene Fernandes, diz que foi orientada a levá-lo para uma unidade particular porque o sobrinho tem plano de saúde. “Eu vim aqui, confirmei a vaga. O Hospital de Campanha chamou o SAMU, colocou ele dentro e entregou ele aqui na porta do hospital”, explicou.

Mesmo com o documento de transferência em mãos ele não conseguiu o atendimento. De acordo com os parentes, o hospital informou que não tinha mais leitos para internação.

O Hospital Dom Orione disse que o paciente já recebe assistência necessária e que na quarta-feira (10) ele “evadiu da unidade por conta própria”. Veja abaixo a nota na íntegra.

Por causa da situação, Marilene procurou uma delegacia e registrou o caso. Ela teme que o quadro de saúde do sobrinho se agrave e exige o atendimento necessário para tratar a doença. “50% dos pulmões comprometidos é sério e quanto mais o tempo passa, sem atendimento, sem medicamento, ele corre risco de vida”, disse a tia.

A família de um homem diagnosticado com o novo coronavírus reclama de falta de atendimento e de assistência no hospital Dom Orione, em Araguaína. Segundo os familiares, ele teve 50% do pulmão comprometido e foi transferido para a unidade particular para tratar a doença, mas não conseguiu uma vaga. A tia do paciente registrou um boletim de ocorrência, mas o hospital afirma que o paciente fugiu da unidade.

O paciente é morador de Colinas do Tocantins. Primeiro o homem procurou o Hospital Municipal de Colinas, mas foi encaminhado ao Hospital Municipal de Campanha de Araguaína. Como precisava fazer um exame de tomografia computadorizada, foi transferido para o Hospital Dom Orione.

A tia do paciente, Marilene Fernandes, diz que foi orientada a levá-lo para uma unidade particular porque o sobrinho tem plano de saúde. “Eu vim aqui, confirmei a vaga. O Hospital de Campanha chamou o SAMU, colocou ele dentro e entregou ele aqui na porta do hospital”, explicou.

Mesmo com o documento de transferência em mãos ele não conseguiu o atendimento. De acordo com os parentes, o hospital informou que não tinha mais leitos para internação.

O Hospital Dom Orione disse que o paciente já recebe assistência necessária e que na quarta-feira (10) ele “evadiu da unidade por conta própria”. Veja abaixo a nota na íntegra.

Por causa da situação, Marilene procurou uma delegacia e registrou o caso. Ela teme que o quadro de saúde do sobrinho se agrave e exige o atendimento necessário para tratar a doença. “50% dos pulmões comprometidos é sério e quanto mais o tempo passa, sem atendimento, sem medicamento, ele corre risco de vida”, disse a tia.

O Hospital Dom Orione conta com 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e é referência no tratamento de pacientes com coronavírus.

A professora Suelene Oliveira também reclamou do atendimento na unidade. Ele teve contato com pessoas infectadas e apresentou sintomas da Covid-19. “É uma falta de respeito. Vim ontem, cheguei aqui 10h e saí 13h30. Hoje cheguei só para fazer um exame, 17h, já vai dar 19h30 e não me liberaram”.

O que diz o Hospital

O Hospital Dom Orione esclarece que o paciente D.A.SJ. está internado na unidade, na ala exclusiva para pacientes com Covid-19, recebendo toda assistência necessária.

O referido paciente deu entrada no Pronto Atendimento na quarta-feira, dia 10 de junho, às 14:22. Recebeu atendimento médico, passou por exames e estava sendo assistido pela equipe. Porém, o paciente se evadiu da unidade por conta própria, sem receber alta e sem comunicar o hospital. Na quinta-feira, dia 11 de junho, por volta das 8h, retornou à unidade para solicitar o resultado dos exames e retirada da punção. O paciente foi orientado a permanecer no hospital e realizar nova consulta médica, mas recusou e saiu da unidade novamente. Por volta das 10h retornou ao hospital para ser atendido e passou por nova consulta médica.

Às 17:22 foi gerado o atendimento de internação. Quando o paciente estava sendo encaminhado para internação no leito clínico, pediu para aguardar o retorno de sua acompanhante que tinha saído da unidade. Essa espera atrasou o translado do paciente do Pronto Atendimento para a Ala Covid-19, que já leva certo tempo, pois é preciso isolar todo o trajeto que será percorrido, e logo em seguida, fazer a desinfecção do ambiente. É importante ressaltar que o protocolo de internação de pacientes com Covid-19 é demorado, visto que é preciso seguir várias medidas de segurança. Às 20:30 da quinta-feira, dia 11/06, o paciente foi recebido na Ala Covid e segue internado.

O Hospital Dom Orione esclarece ainda que durante todo o período que o paciente esteve na unidade, foi assistido e monitorado continuamente.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui