Divulgação

O prefeito Saulo Milhomem participou nessa quarta-feira, 10, de uma reunião com o prefeito de Lajeado, Júnior Bandeira e com o prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino, para discutir sobre ações que serão desenvolvidas em conjunto, a fim de, conter o fluxo de turistas nas praias e nos pontos turísticos que existem nos três municípios.

O objetivo é reforçar a prevenção ao novo coronavírus durante o período em que aconteceria a temporada de praia na região, além de alinhar os trabalhos que serão aplicados em conjunto para enfrentamento à Covid-19.

“Diante da pandemia que estamos vivendo surgem muitas dificuldades nos municípios. A criação desse comitê é importante para que possamos junto aos parceiros desenvolver soluções para enfrentarmos juntos esta grave crise”, ressalta o prefeito de Miracema, Saulo Milhomem.

“Estamos em um momento de proximidade com a temporada de verão e as cidades de Lajeado, Miracema e Tocantínia todas têm a tradição de receber turistas nesse período. Resolvemos adotar ações conjuntas para que a gente possa desenvolver políticas públicas de contenção da covid-19. A próxima reunião será com secretários municipais e coordenadores do Comitê Operacional de Emergência”, disse o Júnior Bandeira, prefeito de Lajeado.

“Nós discutimos sobre ações que serão desenvolvidas para conter o avanço do coronavírus, pois os municípios são próximos de Palmas. A problematização é que assim que começar a temporada de praia, muitos turistas visitarão nossas cidades. Devido a essa situação, surge a preocupação sobre a propagação do vírus nesse período. Nosso objetivo aqui é unificar ações e buscar apoio das instituições de controle social, como o Ministério Público, a Policia Militar, Defesa Civil e Marinha para que nos ajude a conscientizar e restringir o acesso de turistas em nossas praias”, explica o prefeito de Tocantínia, Manoel Silvino.

Além de discutir sobre a criação de medidas de contingenciamento de forma integral, foi enfatizado que às particularidades de cada município serão respeitadas, ou seja, a proposta visa intensificar ações em conjunto apenas de situações semelhantes. Na reunião, foi assinado um oficio para solicitar apoio de oito instituições de controle social, entre elas estão: Ministério público, Polícia Militar, Governo do Estado, Marinha, Defesa Civil e Secretaria de Segurança Pública do Estado.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui