A prefeitura de Araguaína voltou a autorizar o funcionamento das academias da cidade. A decisão foi tomada mesmo com o aumento de registros e mortes pelo novo coronavírus. Apesar da flexibilização, a partir desta terça-feira (23) passa a ser proibido o consumo de bebidas alcoólicas em estabelecimentos comerciais ou qualquer local público do município.

Araguaína é a cidade do Tocantins com mais casos positivos da Covid-19. Até esta segunda-feira (22) o município já somava 3.297 diagnósticos e 51 mortes em decorrência da doença.

O decreto com a autorização foi publicado no Diário Oficial do Município desta segunda-feira (22) e assinado pelo prefeito Ronaldo Dimas (Podemos). Para voltar a funcionar os donos das academias devem cumprir regras como o controle de pessoas dentro do estabelecimento e a disponibilização de álcool em gel 70%.

A limpeza da academia deve ser intensificada. Além disso, nos estabelecimentos só serão permitidas a prática de atividades individuais.

Segundo a Prefeitura, poderá haver apenas um equipamento a cada 10 metros quadrados para que a distância seja maior que três metros entre cada um. As esteiras, bicicletas e outros da modalidade aeróbica poderão ser usados apenas em baixa intensidade, não sendo permitido correr no equipamento.

Aulas em grupo, como zumba, continuarão suspensas. Além de máscaras, os profissionais de orientação devem usar luvas.

Segundo a Prefeitura, a liberação para abertura de academias será individual e avaliada por fiscais do Município. “As equipes de monitoramento do cumprimento e orientação das medidas são formadas por fiscais do Departamento Municipal de Posturas e Edificações (Demupe), Tributários, Ambientais, da Vigilância Epidemiológica e Sanitária”, informou a Prefeitura.

O funcionamento do comercio em Araguaína passou por várias mudanças desde o início da pandemia. Após o fechamento do comércio, no mês de abril a Prefeitura anunciou a liberação de academias e restaurantes com restrições, mas as atividades comerciais voltaram a ser restritas por causa do salto no número de casos de coronavírus. A cidade também chegou a ficar em lockdown após decreto do Governo do Estado.

Ocupação dos leitos de UTI

A autorização de reabertura ocorreu dias após o prefeito Ronaldo Dimas mostrar preocupação por causa do índice de ocupação dos leitos de UTI. Na semana passada, em uma videoconferência, ele falou que as vagas para tratar pessoas com a Covid-19 estavam no limite e que se os números da doença não forem reduzidos o comércio poderia voltar a ser fechado.

“A gente está no limite do limite. Se a gente não tiver uma melhora agora, muito dificilmente a gente vai conseguir permanecer com as atividades econômicas em funcionamento”, afirmou Dimas.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui