Divulgação

Desde o mês de abril, a Prefeitura de Araguaína já distribuiu mais de cinco mil refeições para pessoas em situação de rua, por meio do Restaurante Popular. A iniciativa faz parte de uma série de ações planejadas pelo Município para auxiliar a população mais vulnerável durante a pandemia.

Todo o custo das refeições é pago pelo Município, garantindo gratuitamente aos moradores de rua um cardápio variado e definido por um nutricionista, com refeições elaboradas para ter 1.400 calorias, com duas guarnições, dois acompanhamentos, uma carne, uma salada e um suco.

De acordo com o diretor de Proteção Social Especial da Secretaria Municipal da Assistência Social, Lucas Andrade, a ação pretende dar condições de uma prevenção adequada contra a covid-19. “Nós sabemos que pessoas mal alimentadas acabam baixando a imunidade e ficam mais suscetíveis ao contágio. Por isso, as refeições oferecidas no Restaurante Popular são fundamentais para fortalecer o organismo”.

O senhor Cazuza, de 61 anos, veio do Estado do Pará em busca de melhores oportunidades, mas com o início da pandemia acabou sem trabalho e sem lugar para morar. Ele conta que a garantia da alimentação é essencial neste momento. “Isso aqui tem sido importante demais, nos dá dignidade e ajuda a gente a se reerguer”.

Cardápio variado

O restaurante funciona de segunda a sábado, das 10 às 15 horas, cumprindo um cardápio de qualidade para qualquer pessoa por R$ 5 já com suco, com atendimento de segunda-feira a sábado. Entre os pratos estão o filé de frango na chapa, coxa e sobrecoxa assada com purê de batata, bife à milanesa e, aos sábados, feijoada.

Banho Solidário

Além da distribuição de refeições à população em situação de rua, o projeto também oferece o Programa Municipal Banho Solidário, com um quiosque aberto na Praça das Bandeiras, das 7 às 15 horas, próximo ao Restaurante Popular, com local para banho e distribuição de kits de higiene, roupas e toalhas limpas.

O local funciona das 8 às 18 horas e conta com uma equipe multidisciplinar do Município, composta por assistente social, psicólogo, pedagogo e enfermeira, que fazem o acolhimento imediato e, em seguida, encaminham a pessoa para outros serviços caso necessário.

“Uma vez que a alimentação de qualidade e os hábitos de higiene regulares são garantidos, nós aumentamos consideravelmente as chances de segurança de toda a população, diminuindo os focos de contágio do coronavírus. Esse tipo de projeto é de extrema importância, já que além de orientar as pessoas, nós também temos o compromisso de dar as ferramentas necessárias para que a população mais vulnerável possa se proteger”, acrescentou o diretor de Proteção Social.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui