Morreu na noite deste domingo (28) o advogado Igor Lima Potêncio, 24 anos, em Palmas. Igor tomaria posse na manhã desta segunda-feira, 29, às 10h, como primeiro dirigente transexual da Ordem de Advogados do Tocantins (OAB-TO). A principal suspeita é que ele tenha cometido suicídio.

O jovem advogado morreu na mesma data que também se comemora o Dia Mundial Do Orgulho LGBTIQ+, 28 de junho.

A OAB, em nota de pesar, manifestou solidariedade à família e amigos. “A OAB Tocantins, representando a advocacia estadual, manifesta publicamente a consternação e a grande tristeza de toda a classe nesse momento de saudade, rogando a Deus para que conforte o coração de familiares e amigos” ressaltou o órgao.

O suicídio entre jovens LGBTs

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, constatou que a população LGBT tem cinco vezes mais chances de cometer suicídio do que os heterossexuais cisgêneros. Dependendo do ambiente onde o indivíduo esteja, o número pode subir até 20 vezes. Pelo levantamento do Grupo Gay da Bahia, no ano de 2017, das 445 mortes de LGBTIs no Brasil, 58 foram suicídios.

Além da questão fisiológica que pode gerar depressão em alguém, para LGBTs, há ainda o meio hostil. Por exemplo, a falta de aceitação familiar, ofensas constantes, bullying, opressão no ambiente de trabalho e/ou ameaças à integridade física. Essas são circunstâncias, infelizmente, a quais estamos sempre sujeitos. Num momento mais fragilizado, isso pode justamente direcionar alguém a querer terminar com a própria vida. E essa lei chega para tentar evitar que isso aconteça.

Lamentações nas redes sociais

 


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui