Divulgação

A Delegacia Especializada de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente e Conflitos Agrários informou nesta terça-feira (11) que vai aprofundar a investigação das denúncias de poluição no lago de Palmas, ribeirão Taguaruçu Grande e córrego Machado, na região sul de Palmas. Ainda segundo a polícia, novas análises da água estão sendo realizadas.

A Polícia Civil informou, nesta segunda-feira (10), ter constatado que a mancha verde encontrada em um trecho do lago é causada por poluição e o problema estaria relacionado ao despejo de esgoto, entre outros fatores.

O problema vem sendo registrado na região sul de Palmas desde o início do ano e tem preocupado os moradores pelo risco de contaminação e mau cheiro. Um inquérito policial foi aberto após laudos feitos pela perícia e pela Universidade Federal do Tocantins. A investigação deve ser concluída em 30 dias.

A concessionária de água e esgoto de Palmas, a BRK Ambiental, afirmou nesta segunda-feira (10) que não há relação entre as algas encontradas no Ribeirão Taquarussu e o esgoto tratado pela concessionária. A empresa afirma a presença de algas pode ser observada, inclusive, em pontos anteriores ao lançamento do esgoto tratado.

“A presença de algas ocorre pelo acúmulo de nutrientes provenientes de fontes diversas como poluição urbana, fertilizantes e matéria orgânica em decomposição cabendo aos órgãos de fiscalização identificar as contribuições irregulares.”

Com informações do G1 Tocantins.

 


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui