Na tarde desta quinta (13/02), várias pessoas de diversos coletivos, movimentos, entidades, representante da igreja anglicana se reuniram para organizar a 17ª Parada da Diversidade Cultural LGBTQI+, em Palmas.

Para Fernando Coelho, um dos organizadores, esse ano o evento deve reunir mais
participantes com o apoio das universidades e do poder público municipal e estadual,
apesar que o percurso tradicional do Parque Cesamar até a palmas brasil, este ano não
será possível em função do decreto que proíbe manifestações em espaços públicos com
sonoridade.

Na semana da diversidade serão trabalhados temas políticos do movimento LGBTQI+ e
de conscientização como questões de gênero, sexualidade, diversidade, identidade,
abordando binarismo e não binarismo, sexualidade definida e não definida.

O movimento LGBT+ brasileiro completa 40 anos de história. Aqui no Tocantins em
pouco mais de 15 anos, com luta em meio às dificuldades de apoio, custeio das ações, já
foram produzidos filmes, documentários, vídeos, pesquisas com diversos trabalhos de
professores das universidades publicados, assim como várias associações como a
ATRATO, a associação das travestis do Tocantins, das lésbicas, que inclusive possuem
time de futebol.

A semana cultural da diversidade sexual e de gênero, será realizada dia 7 de junho de
2020 com tema “Amamos a Democracia!”, com o apoio de sempre da Aliança Nacional
LGBTI, Rede Gay Brasil, ABGLT, Rede Nacional de Operadores de Segurança Pública
LGBTI,OAB-TO, Casa A+, Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Defensoria Pública,
Assembleia Legislativa, UFT.

Assessoria.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui