Divulgação

A defesa do motorista Whandeuarly Rodrigues, que dirigia o carro que atropelou e matou dois ciclistas na TO-010 neste fim de semana, falou pela primeira vez sobre o caso. O advogado Thércio Cavalcante, que representa o motorista, disse que ele deixou o local do acidente por medo de ser linchado e que ficou com medo de represálias por causa da aglomeração que se formou no local.

O atropelamento matou os advogados Valdonez Sobreira de Lima, de 47 anos, e Thiago Germano Santos, de 34 anos. A defesa de Rodrigues nega que ele tenha ingerido bebidas alcoólicas ou usado drogas antes de dirigir. Disse ainda que ele tentou telefonar para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas que no local não havia sinal de telefone.

Whandeuarly Rodrigues disse que está disposto a colaborar com as investigações e que agendou um horário para se apresentar na Delegacia de Combate aos Crimes no Trânsito, mas não informou quando isso deve acontecer. Disse ainda que no momento do acidente pediu a amigos que estavam em outro veículo que seguissem até Lajeado para fazer o contato com os serviços de emergência e pedir ajuda.

A Polícia Civil havia informado na manhã desta segunda-feira (10) que identificou o motorista, mas não havia divulgado o nome dele. As vítimas estavam pedalando às margens da rodovia e foram arremessadas a cerca de 100 metros de distância.

No dia do acidente, o condutor fugiu do local sem prestar socorro e depois abandonou o carro às margens da rodovia, na região norte de Palmas. A Secretaria de Segurança Pública informou que o caso foi registrado na 1ª Central de Atendimento da Polícia Civil e será investigado pela Delegacia de Repressão a Crimes de Trânsito (DRCT).


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui