A Polícia Civil e o Ministério Público (MP) do Rio de Janeiro cumprem, nesta segunda-feira (24), operação para prender suspeitos de envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo, assassinado com mais de 30 tiros em junho de 2019. De acordo com o portal G1, a deputada federal Flordelis (PSD-RJ), viúva do pastor, foi denunciada como mandante do crime.

Segundo a publicação, a deputada teria tentado envenenar o marido pelo menos quatro vezes antes do assassinato a tiros. Ela não pode ser presa por causa da imunidade parlamentar.

Nove mandados de prisão estão sendo cumpridos na operação. Até as 7h, seis filhos do casal, uma neta, um ex-policial militar e a mulher dele foram presos.

O crime

Anderson do Carmo foi assassinado a tiros na garagem de casa em Pendotiba, Niterói, região metropolitana do Rio, em junho de 2019. O assassinato aconteceu por volta de 4h de um domingo, após o casal chegar de uma confraternização.

A deputada contou à polícia que percebeu que o veículo dirigido por Anderson estava sendo perseguido por duas motos. Ao entrarem em casa, Anderson teria retornado à garagem para pegar algo no carro, e disparos foram ouvidos.

O corpo do pastor foi encontrado com 30 perfurações feitas a partir de uma arma calibre 9mm. Dois de seus filhos, um biológico e outro adotivo, confessaram envolvimento no assassinato e foram presos.

O casal teve 55 filhos, sendo quatro biológicos e 51 adotivos.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui