Divulgação

A Justiça determinou que os profissionais do Hospital Regional de Araguaína passem por testes para Covid-19 uma vez por semana. A ordem cobre todos os trabalhadores de ambientes compartilhados do HRA e que estão exercendo atividades presencialmente. A medida foi determinada após mais de 140 funcionários serem afastados da unidade por contrair a doença.

A decisão é do juiz Renato Vieira de Faria, da 1ª Vara do Trabalho de Araguaína. A determinação é para que sejam feitos testes rápidos e também exames do tipo RT-PRC, considerados mais exatos por detectarem a infecção logo no início. Faria ordenou ainda que o laboratório do próprio hospital seja equipado para os testes.

A ordem do juiz foi determinada após o Ministério Público do Trabalho entrar com uma ação na Justiça. O documento cita a sobrecarga dos profissionais que estão trabalhando na unidade em função dos afastamentos, já que o hospital sofreria com deficit de pessoal para atender a todas as demandas existentes por causa da pandemia.

A decisão é do último dia 17 de julho e por isso os dados levados em consideração pelo juiz já estão desatualizados. De acordo com o relatório situacional divulgado pela própria SES no sábado (18), o total de profissionais infectados no HRA já chega a 317. A unidade é a que mais teve casos no Tocantins até o momento. Em todo o estado, foram mais de 700 servidores da linha de frente contaminados.

A SES terá ainda que apresentar uma lista de profissionais de saúde aptos a substituir os trabalhadores que eventualmente precisarem ser afastados e atualizar as escalas de plantão para retirar os nomes de quem não estiver em condições de comparecer.

A unidade é a maior da região norte do Tocantins e concentra pacientes de outros municípios. Araguaína é a cidade mais afetada pela pandemia até o momento no Tocantins, com 5.668 casos e 77 mortes.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui