Divulgação

Morreu na madrugada desta sexta-feira (21) em Araguaína, o padre Remígio Corazza, de 100 anos. O líder religioso nasceu na Itália e veio ao Brasil no ano de 1953 evangelizar a população que vivia no então norte goiano, hoje o norte do Tocantins. O padre estava internado no Hospital Dom Orione há cerca de uma semana. Ele deu entrada na unidade com infecções urinária e pulmonar.

O hospital emitiu nota de pesar pela morte do padre, às 1h54 desta sexta-feira. O corpo será velado no Santuário Sagrado Coração de Jesus, em Araguaína, a partir das 11h30. No Santuário também será celebrada a missa de corpo presente, às 16h. Após a Santa Missa, será realizado o sepultamento no Cemitério São Lázaro.

Remígio Corazza nasceu no dia 5 de outubro de 1919, em Arsego, na província de Pádua, região de Vêneto na Itália. Começou a caminhada religiosa em 1939 quando fez os primeiros votos. Foi mensageiro de São Luis Orione levando suas correspondências.

No dia 29 de junho de 1952 recebeu a ordenação sacerdotal e rezou a primeira missa para um grupo de freiras cegas. Em 1953 saiu da Itália rumo ao Brasil para fazer missões na região do então norte goiano, hoje norte do Tocantins.

Ele chegou a voltar para a Itália onde ficou de 1958 a 1963 e após este período voltou para o Brasil, onde viajava longas distâncias pelo sertão para evangelizar. Em 14 de setembro de 1963, junto com o então bispo de Tocantinópolis, Dom Cornélio Chizinni, fundou o colégio Santa Cruz em Araguaína. Passou um tempo em Goiânia onde trabalhou e construiu a Paróquia Nossa Senhora da Rosa Mística. Também em Araguaína construiu a capela Santíssima Trindade.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui