Batizado de Renda Brasil, o novo programa de tranferência de renda em elaboração pelo governo, uma espécie de remodelagem do Bolsa Família, deve ser lançado para substituir o auxílio emergencial de R$ 600.

O modelo abrangeria um universo de 57,3 milhões de pessoas, que receberiam, em média, R$ 232. Hoje, o Bolsa Família atende a 41 milhões de pessoas, que recebem, em média, R$ 190, a um custo de pouco mais de R$ 30 bilhões.

Confira o que já se sabe sobre o programa:

Público atendido

Já está definido que o novo programa atenderá mais pessoas que o Bolsa Família, mas não todos que hoje recebem auxílio emergencial. A proposta preliminar é de um público de 57,3 milhões de pessoas, mais que os 41 milhões do Bolsa Família.

Valor do benefício

Um dos textos em discussão menciona uma média de R$ 232, acima dos R$ 190 do Bolsa Família. Técnicos envolvidos na discussão afirmam que é importante que o valor não fique muito abaixo da última parcela do auxílio emergencial.

Impacto fiscal

Uma das propostas prevê um impacto de R$ 57,1 bilhões. Esse valor é quase o dobro do orçamento do Bolsa Família. A ideia da equipe econômica é criar o novo programa sem furar o teto de gastos, que freia o crescimento de despesas.

Benefícios afetados

O Renda Brasil deve rever benefícios para abrir espaço no Orçamento. Um dos alvos deve ser o abono salarial, considerado ineficiente por atingir também integrantes de famílias ricas. Hoje, o abono custa cerca de R$ 20 bilhões por ano.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui