Uma funcionária pública, de 33 anos, que não quer se identificar, relata: “Acho que estou com Covid. Sinto moleza no corpo, falta de ar e até mesmo dores de cabeça”, disse após ter uma crise de falta de ar e muita angústia, semanas atrás, em sua residência aqui em Palmas, onde mora com a família. A moça conta que começou a sentir o peito apertar e ao mesmo tempo muita ansiedade e falta de ar. “Fiquei com muito medo e bastante preocupada e quis procurar logo um atendimento de saúde para saber de fato o que estava acontecendo com o meu organismo”, conta ela lembrando que foi ao médico e descobriu que estava com uma crise de ansiedade e não com Covid-19.

De acordo com especialistas, alguns sintomas da Covid-19 coincidem com sintomas de ansiedade: falta de ar, aperto no peito, perda de apetite e diarréia. Portanto, a orientação dos profissionais de saúde é ficar atento aos sinais e sintomas causados pela infecção pelo novo coronavírus e também monitorar a saúde mental, pois a ansiedade se torna uma reação normal diante de situações estressantes que a população está vivenciando nesses últimos meses.

A psicóloga e residente em Saúde Mental da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp), Maisa Damaso Barbosa, orienta que algumas pessoas vivenciam esta reação de forma mais frequente e intensa, podendo comprometer a saúde psíquica. “Por isso é importante identificar a diferença entre crise de ansiedade e os sintomas da Covid-19 para evitar a busca pelo atendimento de urgência e emergência sem maior necessidade”, ressalta.

Para ajudar a identificação, Maisa Damaso e outros profissionais de saúde e também residentes de Saúde Mental que estão realizando o estágio de Saúde na Comunidade, criaram um guia com os principais sintomas para facilitar a identificação de uma crise ansiosa e também da infecção causada pelo novo vírus.

Conforme as orientações do guia, que pode ser consultado nas redes sociais da Fesp, no endereço @fesppalmas, a dificuldade para respirar, associada à febre e tosse, é um dos principais sintomas da Covid-19, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). O contratempo é que a falta de ar também é um dos principais sintomas dos transtornos de ansiedade. Além de falta de ar possui aperto no peito, perda de apetite e diarreia.

A psicóloga explica que nas crises de ansiedade, a falta de ar é inesperada, não é constante, nem piora com pequenos esforços. Se há uma patologia como a Covid-19, a pessoa irá sentir esgotamento ao subir alguns degraus de escada. “Então a ausência de febre, de um modo geral, pode sinalizar que a falta de ar é mais associada à ansiedade, especialmente no caso de um paciente que já tem diagnóstico de um transtorno ansioso”, avalia.

Os profissionais de saúde lembram ainda que se a pessoa já apresentou um histórico de ansiedade, vale comparar o que está sentindo no momento, com a ansiedade que sentiu no corpo em outras ocasiões. “Se a pessoa conseguiu se acalmar nestes poucos minutos e voltar para um padrão respiratório regular, talvez não esteja lidando com o Covid-19, mas se persistir deverá consultar um médico”, observa destacando que outra maneira de diferenciar entre a Covid-19 e condições com sintomas semelhantes inclui a presença de febre persistente, geralmente superior a 37,8 graus centígrados.

O grupo de residentes é composto pelas profissionais Déborah Amorim (psicóloga), Lauana Paula Garcia (psicóloga), Maisa Damaso (psicóloga), Milena Melo (enfermeira), Joabia Amorim (enfermeira) e Jacqueline J. Ferreira (enfermeira). Todo o trabalho tem a supervisão da preceptora da Fesp, a psicóloga Diana Gusmão.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui