O Procon Municipal de Palmas iniciou nesta terça-feira, 17, e segue esta quarta-feira, 18, uma operação de fiscalização nas farmácias da Capital para verificar possíveis aumentos de preços sem justa causa, o que pode ser considerado como prática abusiva, segundo prevê o Código de Defesa do Consumidor (CDC). A fiscalização se dará principalmente na comercialização de álcool gel 70%, luvas e máscaras. Houve várias denúncias de que comércios/farmácias estariam supervalorizando estes produtos, onde  por conta da ameaça de contaminação pelo Coranavirus (Covid-19) o valor cobrado por esses itens tenham sofrido reajustes não justificados.

A superintendente do Procon Municipal de Palmas, Valéria Morais, orienta os consumidores que verificarem este tipo de aumento denunciem o fato ao órgão, para que sejam adotadas as medidas necessárias a fim de coibir o abuso no mercado. Segundo ela, o consumidor pode inclusive fotografar o valor abusivo para sustentar sua denúncia.

“Tivemos notícias de álcool gel 70% sendo vendido a R$ 15,00, enquanto antes da Covid 19, o frasco de 500 ml custava em média R$ 5,00, por isto orientamos que ao se sentir lesado o cidadão faça denúncia ao Procon Municipal de Palmas pessoalmente, ou pelos telefones 0800-642-5801 e 3212-7768”, explica.

Estoques X desabastecimento

Porém, as práticas que devem ser evitadas não são apenas as de aumento abusivo dos preços. Seguindo orientações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) as pessoas devem seguir as recomendações de como se proteger da doença, evitando lugares com grande circulação de pessoas; ficar preferencialmente em casa, manter ambientes ventilados e manter as boas práticas de higiene, com atenção especial para as mãos que devem estar sempre limpas.

Também é recomendado o auto isolamento de sete dias para quem tenha feito viagem recente ao exterior, mas que não apresente sintomas e de até 14 dias para quem seja classificado como caso suspeito ou confirmado da doença. A intenção é que caso tenha sido contaminada, não seja repassado o vírus às demais pessoas em volta.

A procura aos postos de saúde só devem acontecer por pacientes sintomáticos, que apresentem febre, falta de ar e tosse seca, para avaliação clínica. Neste caso, para evitar sobrecarga do sistema público de saúde, o único habilitado para tratar os casos de Covid-19.

A OMS e o Ministério da Saúde também recomendam que se evite fazer estoque de álcool gel 70% e de máscaras cirúrgicas, para não provocar desabastecimento do mercado prejudicando as demais pessoas. De acordo com a orientação de especialistas da área médica, lavar as mãos com água e sabão é a medida mais eficaz para manter as mãos limpas. O álcool gel 70%só precisa ser usado em locais em que não houver pias com água e sabão, a exemplo do transporte público. As máscaras são recomendadas profissionais de saúde.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui