Divulgação

Durante entrevista para programa de televisão nesta segunda-feira (23/8) a prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro (PSDB), comentou sobre a situação da capital na pandemia e afirmou que o período crítico pode se estender até a primeira quinzena de setembro. A prefeita ainda anunciou que a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Norte irá se tornar um centro especializado para atendimento especializado para pacientes com Covid-19. A mudança começa a partir desta terça-feira (25).

Ela explicou que a ideia é migrar os casos de de média e alta complexidade para a Policlínica da Arno 31, antiga quadra 303 Norte. Norte em horário de atendimento de 24 horas. “Com farmácia de plantão, com os médicos especialistas, todas as especialidades sendo atendidas lá e deixarmos a UPA Norte exclusivamente para a estabilização de pacientes com Covid. A partir de amanhã nós já estamos fazendo esse serviço”, disse.

A prefeita diz que neste primeiro momento quem precisar de atendimento urgente e procurar a UPA será atendido de acordo com a classificação. “A classificação amarela, laranja e vermelha serão atendidos na policlínica. Até as pessoas terem acesso a essa informação, com certeza muitas delas procurarão atendimento”, explicou.

Questionada sobre o crescimento de confirmações da Covid-19, Cinthia disse que a capital não é o epicentro da pandemia no estado e que o aumento no número de casos se deve ao comportamento e desrespeito da população às medidas de prevenção a pandemia, principalmente na temporada de praias no mês de julho.

“Hoje nós estamos colhendo frutos dos últimos 30, 20 dias. De um comportamento onde essas pessoas estavam, digamos, de férias”, disse a gestora.

A prefeita acredita que o município está longe de ser o epicentro da pandemia no estado. “E não vamos ser. Principalmente quando você compara o nosso número de habitantes e isso não é mérito nem demérito de nenhum governo ou de nenhum prefeito. Nós temos nossa vizinha, Araguaína que tem uma população bem menor do que a gente, um número de mortos muito maior que o de Palmas. O número de casos também. Aí quando você faz uma comparação entre essas duas cidades que são pólo, assim como Gurupi também, você vê que esses números falam por si”, disse.

“Você pega quase 10 mil casos positivos em Palmas e você tem 5.537 casos que já foram tratados e estão recuperados. Você pega a nossa taxa de letalidade na capital, ela é de 0.7%. ou seja, toda uma estrutura que funciona, está longe de ser uma estrutura perfeita e ideal, mas isso nós não tivermos nos EUA, não tivemos na china ou em um grande centro como São Paulo”, disse.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui