Divulgação

A Polícia Civil prendeu um homem de 24 anos foi preso por suspeita de um homicídio ocorrido durante uma festa no dia da Padroeira do Tocantins em Natividade, sudeste do Tocantins. A arma do crime foi localizada e a investigação concluída nesta quarta-feira (16/9). A motivação do crime seria ciúmes, pois o suspeito e a vítima estariam se relacionando com a mesma mulher.

A polícia informou que o suspeito do crime foi preso na última segunda-feira (14) e a possível arma do crime foi localizada na casa do pai dele. A vítima era um jovem de 23 anos. Os nomes dos envolvidos não foram informados pela Polícia Civil.

O crime aconteceu na madrugada do dia 8, feriado de Nossa Senhora da Natividade. Os dois jovens teriam uma rixa e estavam em uma festa. Segundo a polícia, os dois eram muito conhecidos na cidade.

As investigações apontaram que após ingerir algumas doses de bebida alcoólica o homem de 24 anos sacou uma pistola calibre 22, de fabricação artesanal, e fez um único disparo no peito do homem de 23 anos. O tiro atingiu o coração e a vítima morreu na hora.

O atirador fugiu do local, mas foi identificado pela Polícia Civil. O delegado responsável solicitou um mandado de prisão e o suspeito foi preso no início desta semana.

A arma foi apreendida durante cumprimento a mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça. “Com a apreensão da arma de fogo, encerramos as investigações referentes a esse crime de homicídio, uma vez que já havíamos identificado o possível autor e efetuado a prisão dele, na última segunda-feira, dia 14”, disse o delegado Joadelson Rodrigues Albuquerque.

O inquérito foi concluído e agora será enviado ao poder judiciário. O suspeito foi preso e enviado para a Prisão Provisória de Dianópolis.

Motivação

As investigações da Polícia Civil demonstram que o crime teria sido praticado, em tese, por ciúmes. Isso porque o autor e vítima mantinham um relacionamento amoroso com a mesma mulher.

Ainda segundo a polícia, o homicídio teria sido premeditado, pois o suspeito chegou ao local armado e teria esperado o melhor momento para agir. “Durante a investigação foi possível constatar que o crime foi duplamente qualificado, pois foi cometido por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima que foi pega de surpresa”, explicou o delegado.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui