Divulgação

A Câmara de Vereadores de Augustinópolis cassou o prefeito da cidade Júlio da Silva Oliveira (PRB) pela terceira vez. O decreto legislativo sobre a cassação foi publicado nesta quinta-feira (20), mas o gestor se nega a deixar o cargo. A defesa dele entrou com ação na Justiça para suspender novamente os efeitos da decisão. Segundo o presidente da Casa Legislativa, Cícero Cruz Moutinho, “a cidade virou uma baderna”.

O presidente explicou que essa terceira cassação foi motivada por uma série de denúncias feitas por um morador da cidade, relacionadas a 12 infrações ligadas à prestação de contas e outros atos administrativos.

“A Câmara está fazendo o papel dela de apurar os fatos e de julgar. Mas o prefeito não está respeitando a decisão da Câmara, está ganhando tempo para conseguir liminar”, disse ele.

Segundo o vereador, assim que o decreto legislativo foi publicado nesta quinta-feira o vice-prefeito Vanderlei Arruda tomou posse automaticamente. “Ele já é o atual prefeito, mas não consegue exercer porque o ex-prefeito não sai da prefeitura. A cidade virou uma baderna, está parada”.

O advogado do prefeito, José Fábio de Alcântara Silva, disse que entrou com mandado de segurança para suspender essa terceira cassação.

“O vereador Cícero Moutinho está tentando a todo custo tumultuar a administração do prefeito. Os mesmos motivos que fundamentaram o deferimento da liminar quanto ao processo de cassação anterior se aplicam ao atual. Mesmo assim, ele insiste em contrariar o entendimento do Magistrado desta comarca, o que é indício da temeridade das suas ações”, disse.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui