Um crime que aconteceu em janeiro de 2019 deixou assustada a população de Novo Acordo, na região central do Tocantins, e teve grande repercussão. O prefeito, Elson Lino de Aguiar, o Dotozim – como é conhecido na cidade, foi atingido por três tiros durante uma tentativa de assassinato. Ele chegou a ficar internado na emergência do Hospital Geral de Palmas (HGP), mas sobreviveu.

No dia seguinte ao crime, o vice-prefeito, Leto Moura Leitão Filho, conhecido como Letim Leitão, juntamente com outras duas pessoas, foram presos preventivamente sob suspeita de estarem por trás do atentado.

Apesar de sempre negar participação no crime, Letim Leitão chegou a ficar recolhido na CPP de Palmas por cerca de 8 meses e hoje cumpre prisão domiciliar na Capital.

No último dia 02, em mais um capítulo do caso, a juíza Aline Bailão Iglesias decidiu que o vice-prefeito será levado a júri popular. A defesa do político disse à reportagem que não concorda com a decisão e que vai recorrer a instâncias superiores.

Em entrevista exclusiva para o Sou de Palmas, Letim Leitão se declara inocente e diz que sua prisão é perseguição política. Confira:


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui