Mais de 6,5 milhões de brasileiras sofrem com os sintomas da endometriose. A estimativa é que a doença atinja uma a cada dez mulheres em idade fértil.

A endometriose é pouco conhecida e, muitas vezes, negligenciada pelos profissionais por isso costuma demorar a ser diagnosticada.

Segundo a ginecologista Jordanna Diniz, do Centro de Medicina Fetal, os sintomas são: dores que, algumas vezes, chegam a ser incapacitantes, como cólicas fortes e progressivas, desconforto ao evacuar, urinar e durante o sexo. Também há pacientes que sentem dores na região lombar e nas coxas.

“Se o tratamento não for feito pode levar à obstrução intestinal, se houver comprometimento extenso do intestino. Também há risco de perda das funções renais, caso a bexiga e os ureteres estejam prejudicados”, explica a médica.

“Muitas mulheres que têm a doença encontram dificuldade para engravidar devido a alterações na anatomia da pelve e do sistema reprodutor” completa Jordanna.

A ginecologista ressalta que, para diagnosticar a doença, é preciso fazer um exame mais detalhado, com ressonância magnética de pelve ou ecografia transvaginal com preparo intestinal.

A médica explica que existem duas formas de tratamento. “A paciente pode fazer tratamento clínico ou mesmo cirurgia para retirar os focos da doença e assim melhorar sua qualidade de vida. O importante é o diagnóstico precoce, com foco nas adolescentes, para que seja possível rastrear a doença nos estágios iniciais”, finaliza a ginecologista.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui