Divulgação

Um caso de mormo em cavalo foi confirmado em uma propriedade rural, na Ilha do Bananal, considerada a maior ilha fluvial de água doce do mundo, no sudoeste do estado. Segundo a Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), o animal será sacrificado. Além disso, está sendo realizado o saneamento das propriedades e levantamento dos vínculos epidemiológicos para coleta de material dos animais que estão suscetíveis à doença.

A Adapec disse que no dia 26 de janeiro, recebeu notificação de que um animal havia sido identificado com mormo, no exame de triagem. Depois disso, a agência notificou o produtor, que isolou o animal até a realizado do exame complementar, que confirmou a doença.

O primeiro caso de mormo no Tocantins surgiu em 2015, sendo que o último foi registrado no ano de 2017. No mês de agosto daquele ano, cinco cidades da região norte do estado tiveram as cavalgadas e tropeadas suspensas por causa de um cavalo identificado com a doença. Já em outubro, outro cavalo foi sacrificado em Taquaruçu, distrito de Palmas, após exames que detectaram a doença.

Segundo o responsável pelo Programa Estadual de Sanidade dos Equídeos da Adapec, Raydleno Mateus Tavares, até o momento não há informação sobre como o animal contraiu a doença. “Fizemos um levantamento do histórico de trânsito desse animal nos últimos seis meses e não há registro de movimentação. Ainda assim, continuamos com as investigações”.

A Secretaria Estadual da Saúde foi notificada, já que a doença pode ser transmitida ao homem. Em casos de suspeita da doença, o produtor rural deve notificar imediatamente a Adapec em uma das suas unidades ou pelo Disque Defesa 0800 63 11 22, bem como denunciar trânsito clandestino de animais.

O mormo é uma doença infectocontagiosa causada por bactéria que acomete principalmente os equídeos (asininos, equinos e muares). Os principais sintomas são nódulos nas narinas, corrimento purulento, pneumonia, febre e emagrecimento. Existe ainda a forma latente na qual os animais não apresentam sintomas, mas possuem a enfermidade.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui