Divulgação

Os gastos para realizar as eleições este ano no Tocantins podem chegar até R$ 10 milhões. A maior parte do dinheiro público será direcionada para despesas com os colabores, entre eles mesários e equipe de apoio. Somando todos os gastos e dividindo pelo número de eleitores, cada votante custará cerca de R$ 9. O Tribunal Regional Eleitoral informou que as abstenções de votos geram prejuízo aos cofres públicos.

Entre outros gastos está o custo de deslocamento da Polícia Militar, que apoia a eleição em todo estado. São mais R$ 250 mil para conta. “Todas as contratações foram feitas, todas as despesas estão sendo realizadas, foram licitadas”, comentou o diretor geral do TRE, Francisco Cardoso.

Apesar do orçamento disponível, o Tribunal Regional Eleitoral espera economizar pelo menos R$ 1 milhão nessas eleições. Isso, graças aos treinamentos que foram realizados de forma virtual. O dinheiro que sobrar será devolvido ao Tribunal Superior Eleitoral.

Todo o investimento é para que no dia 15 de novembro mais de um milhão de eleitores possam ir às urnas para escolher seus representantes para os próximos quatro anos. Por isso as abstenções acabam gerando um prejuízo para os cofres públicos e principalmente para o exercício da cidadania.

Em 2018, foram gastos cerca de R$ 30 milhões com as duas votações suplementares e depois com a eleição regular para governo. Na época o número de abstenções foi grande. Apesar dos altos investimentos, o diretor geral do TRE comenta que vale a pena para manter a democracia.

“Eu considero que é um custo razoável, é um custo que vale à pena pagar para o cidadão escolher os destinos do seu município, do seu estado e da nossa nação. Até porque a qualidade do gasto, do investimento que vai ser feito, pelo gestor público está justamente no momento da escolha. Então, vale a pena esse investimento para que o eleitor possa voltar livre e conscientemente”, disse.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui