Divulgação

Na manhã desta quinta-feira (15), a Polícia Federal cumprirá seis mandados de prisão e apreensão em Araguacema, região oeste do Tocantins. A Operação Alcateia tem como finalidade acabar com uma suposta organização criminosa, que estaria desviando recursos através de contratos públicos e fraudando licitações. O rombo causado nos cofres públicos já teria passado de R$ 2 milhões.

Os mandados foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região – TRF1. Cerca de 30 policiais federais participam da operação.

A investigação teve início após denúncias de que as licitações estariam sendo direcionadas e algumas empresas venceram várias concorrências na cidade.

A PF apura um prejuízo de aproximadamente R$ 2 milhões em recursos públicos federais. Só que também foram identificados fortes indícios de desvios em contratos financiados com recursos de outras fontes, por isso o prejuízo causado pode ser ainda maior.

A investigação apontou que o grupo criminoso atuava através do direcionamento de contratos para empresas ligadas aos administradores municipais, além de exigir pagamento de propina das demais firmas contratadas.

Segundo a polícia, algumas das licitações realmente estavam vinculadas a administração municipal e outras eram supostamente “fantasmas”. Até os próprios servidores municipais teriam sido utilizados para executar alguns contratos.

Os investigados poderão responder pelos crimes de fraude a licitação, peculato, organização criminosa, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro. O nome da operação “Alcateia” faz referência a proximidade do núcleo investigado.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui