Divulgação

Técnicos do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) percorreram a região da Ilha do Bananal para coletar mais de 20 mil sementes de plantas nativas que serão usadas em projetos de reflorestamento e preservação no estado. As coletas ocorreram entre os dias 17 e 19 de agosto em Lagoa da Confusão, Caseara, Marianópolis e Pium.

As sementes serão usadas para produção de mudas e para semeadura em áreas degradadas, além da criação de módulos produtivos de recuperação e doação para produtores rurais. Segundo o Ruraltins, a ação faz parte dos projetos Restaura – TO e Missão Burle Marx – Coleta de Germoplasma Vegetal Nativo do Tocantins.

Foram coletadas sementes em áreas de cerrado, floresta, pastagens e na zona urbana dos municípios. No total foram coletadas cerca de 20 mil sementes de dez espécies: Jatobá-da-mata, Cabeça-da-arara, Ipê-roxo, Cinzeiro, Garroteiro, Cajuzinho-do-cerrado, Mutamba, Mirindiba, Folha-seca e Jatobá-de-areia.

“Na ação também foram extraídas partes vegetativas como raiz e parte aérea de duas espécies, a Bananeira-brava e a Helicônia-papagaio, típicas do sub-bosque de ambientes de mata ciliar. Ambas possuem elevado potencial para o paisagismo de áreas urbanas e rurais, devido beleza das folhagens e floração”, contou o engenheiro florestal do Ruraltins, Ricardo Haidar.

O Ruraltins informou que tem implantado um Banco de Germoplasma, onde são preservadas mais de 300 mil sementes nativas de 60 espécies que serão usadas para a preservação, restauração e recuperação de áreas degradadas, bem como a implantação do projeto de paisagismo urbano.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui